.::. NATAL

Natal - 25 de dezembro
Em virtude do feriado, o jornal Tribuna do Norte não circulou no sábado (dia 26).


|

Comentários [ 0 ]

www.myspace.com/musicadomato
» Lançamento: Espaço Cubo/Fora do Eixo

Exemplo a ser seguido por todo o Brasil, o projeto Música do Mato apresenta – definitivamente – o potencial da nova música matogrossense. Calcado na intenção de promover sustentabilidade local à cadeia produtiva de música, e criar mecanismos para exportação de sonoridades do Centro-Oeste do país, Música do Mato coloca no centro das atenções bandas conhecidas da cena independente como o power trio progressivo Macaco Bong, entre outros nomes que merecem atenção do público brazuca como o jazzista Ebinho Cardoso (contrabaixista), a rapper Linha Dura, o DJ Faraz (a.k.a Rodrigo Farinha) e o compositor e violonista Paulo Monarco.

Além da união e organização dos artistas, fatores decisivos para materializar propostas caprichadas como esta, mais o envolvimento de associações como o Espaço Cubo / Circuito Fora do Eixo, os apoios do poder público Municipal e Estadual são fundamentais para fomentar ações de empreendedorismo cultural. O CD promocional traz 10 faixas, duas de cada, e agrada gregos e troianos ao oferecer jazz, hip hop, rock, MPB e música eletrônica.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

www.erikamachado.com.br
» Lançamento: Independente
Para não perder o bonde da repercussão de seu primeiro trabalho, a mineira de Belo Horizonte Érika Machado continua distribuindo o CD “No Cimento” em versão light (encarte simples/envelope), com o simpático título de “Piratinha”. Produzido e mixado por John Ulhoa (guitarrista da banda Pato Fu e produtor musical de mão cheia), parceiro de Érika na faixa “Alguém da minha família”, o disco rendeu à cantora e compositora o prêmio de Artista Revelação concedido pela Associação Paulista dos Críticos de Arte – APCA.

Em “No Cimento”, a mineira apresenta 12 composições – destas, letra e música de sete faixas são assinadas exclusivamente pela própria – que se destacam pela maturidade das composições e melodias. Destaque para a faixa “Secador, maçã e lente” (Érika e Juliana Mafra), balada envolvente, feminina e cheia de personalidade, forte candidata a hit radiofônico por agradar – logo de cara – qualquer ouvinte: do mais exigente ao mais destreinado. Érika Machado já está com novo trabalho na praça, “Bem me quer Mal me quer”, também produzido por John.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

www.myspace.com/osreisdacocadapreta
» Lançamento: Independente

Como assim “Os Reis da Cocada Preta”? Afinal, quem eles pensam que são: os maiorais? O suprasumo da fina flor musical de todos os tempos? Diante da implacável concorrência dentro do pulsante e eclético mercado independente de música, sobretudo na cena que movimenta o circuito de shows e festivais realizados no Nordeste, onde todos querem um lugar ao Sol (literalmente), o quarteto paraibano ainda precisa de muito coco seco ralado e açúcar mascavo pra escurecer essa cocada.

Formado por Janz (voz e guitarra), Marcílio (guitarra), Ceará (baixo) e Diego (bateria), o grupo tropeça no próprio nome ao ofecerer um indie rock básico e insoso. Pretensões à parte, Os Reis... se juntaram em 2006 - quando o quarteto passou a ensaiar composições próprias -, em 2007 faz primeiro show e lança primeiro EP, e em 2008 passa por Natal durante o Festival Nordeste Independente. “A proposta da banda é lembrar um belo momento dos anos 1980, onde havia críticas à política e posturas superficiais”, afirmam na página eletrônica. Resta saber qual momento foi esse!?

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

.::. 72/75 - Marku Ribas

www.aorta.art.br
» Lançamento: EMI/Aorta Música

O músico Marku Ribas relança em CD dois clássicos da música negra tupiniquim: “Underground” (1972) e “Marku” (1975). Mineiro de Pirapora, cidade às margens do Rio São Francisco, Marku cruzou o Atlântico em 1969 para reencontrar suas origens. Em Paris mergulhou na música influenciada pela presença africana, bebeu na fonte até desembocar na francesa Ilha de Martinica, no Caribe. Nas ilhas da América Central, onde Marku fixou residência e construiu sua carreira, abriu shows de grandes nomes como James Brown e aprimorou sua fusão rítmica cheia de suingue, um funk-étnico sempre atual.

Dançantes e ecléticas, as oito faixas de “Underground” foram gravadas no Brasil durante rápida passagem para rever a família, e compilaram parte de sua diversificada influência musical. Seu segundo LP solo, “Markus”, também gravado no Brasil, traz maior personalidade e ainda mais balanço, onde a pegada funk domina geral a cena. Bem lapidado, este trabalho conta com participações especiais de João Donato, Miúcha, Wilson das Neves, entre outras figuras da música brasileira.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

.::. O MOTOQUEIRO DOIDO! - Os Pedrero

www.laja.com.br
» Lançamento: Laja Records

Antes de ouvir esta pequena jóia tosca de Vila Velha/ES, vale a pena folhear o encarte – também tosco – do CD “O motoqueiro doido!”. Somando o título do disco, com o ‘istáile’ do modelo da capa e o próprio nome da banda, dá para se ter uma noção do que teremos pela frente nas próximas 14 faixas: música tosca! O interessante é que o som do quarteto formado por Mr. Rotten Wine (baixo e voz), Big Black Bastard (bateria), Jhonny Larva (guitarra e voz) e Tonny Powzer (guitarra e voz) surpreende os mais céticos pela boa pegada, mesmo com os caras assumindo a própria condição ao rotular a música d’Os Pedrero como um “speedy crappy rock’n roll” – algo como rock acelerado de baixa qualidade.

Para quem curte rock sujo, garageiro, cheio de marra e personalidade, verdadeira pancada na orelha, a banda é um prato cheio. Ao dar ‘plêi’, pule direto para a faixa 10, “Suzana”, que sintetiza todo esse conceito ‘speedy crappy’ com frases do naipe de “Suzana, por que você está tão ruim comigo / você colocou formiga no meu ouvido...” Ouça alto e deixe seus vizinhos de cabelos em pé.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

.::. MOVIMENTOS RAROS - Cláudia Rezende

www.claudiarezende.com
» Lançamento: Lua Music

A intérprete paulistana Cláudia Rezende apresenta o melhor de seu repertório em “Movimentos Raros”, seu primeiro trabalho solo. Produzido pelo irmão Nico Rezende, o disco busca um lugar ao sol na concorrida cena da pop-samba music brazuca. Apostando em participações modernas como a presença do músico e compositor Jair Oliveira em “Café com Leite” e do saxofonista Leo Gandelman em pelo menos três faixas, Cláudia limita sua performance ao perseguir o implacável perfil radiofônico, característica que acaba funcionando como intermediária entre o produto artístico final e o ouvinte desavisado.

Merecem destaque a interpretação para “Como dois cristais”, música de Ed Motta e Ronaldo Bastos, e as duas versões da música “Café com Leite” (Jair Oliveira e João Suplicy): na primeira, o sambinha requintado se comporta dentro dos ‘conformes’ acústicos, enquanto que a segunda vem turbinada pelo produtor de música eletrônica Alex Moreira. Suas principais influências são a Bossa Nova e a música erudita – Cláudia estudou canto lírico na Universidade Livre de Música de SP.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

.::. WINTER [EP] - Kentucky

www.myspace.com/kentuckybanda
» Lançamento – Xubba Musik

A música country é daquelas que funcionam melhor quando se canta em inglês, coisa que a banda Kentucky tira de letra. Em “Winter”, o quinteto potiguar comprova a vocação e chega encorpado ao segundo EP com sonoridade bem resolvida, pronto para cair na estrada com o ouvinte rumo ao ‘velho oeste’ – onde, oportunamente, o Cajueiro é a vegetação típica que ilustra a contracapa.

Gravado e mixado no Megafone Estúdio, o disquinho vem recheado por quatro faixas de grande potencial radiofônico, todas autorais e produzidas no capricho pelos cinco bandoleiros – Guilherme Lopes, Eduardo Vasconcelos, Dado, Luiz Lopes e Rafael Prado. Forte candidata a hit, a música “By your side” está circulando entre o público jovem à velocidade de um ‘dente azul’ (o tal Bluetooth) e merece atenção especial. Outra faixa que também se destaca é “What’s the truth”: cheia de sotaque norte-americano, com direito a gaita e viola (de Ulisses Pessoa), a música faz qualquer um bater o pé e assobiar, soa familiar... Está na hora do quinteto começar a pensar seriamente em levantar acampamento.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]

.::. CHOCOLATE WITH PEPPER [EPs] - Distro

[lado A] Chocolate com...

www.myspace.com/distrorock
» Lançamento: Xubba Musik/Noize

Rafaum Costa [foto], capitão da nave Xubba Musik e membro do Coletivo Noize – dois grupos que engrossam o caldo do empreendedorismo no circuito independente de música em Natal –, é daqueles que acreditam em melhores safras em um futuro bem próximo. Joga no time dos otimistas e ajuda a manter a roda do rock girando aqui pelo RN, tanto que está promovendo shows de dez bandas durante o Xubba Fest / Dosol Drops no próximo dia 12 de dezembro em Mossoró.

Também guitarrista e vocalista da banda Distro, Rafaum e Cia dominam a coluna Ondas Curtas deste sábado ao apresentar dois EPs de uma tacada só: os siameses Chocolate com Pimenta, cada um com três faixas e personalidades distintas. Cantando em inglês, a Distro aposta nos riffs e na pegada grunge eternizada pelo Nirvana nos anos 1990, servindo em duas porções sua versão hard core do cotidiano. Gravados no Estúdio DoSol, e mixados por Dante Augusto e Henrique ‘Geladeira’ Rocha (Noize), os EPs dão conta da proposta de lançar a produção atual da banda, por outro lado deixa brechas para se buscar cada vez mais qualidade técnica no resultado final.

... Pimenta [lado B]

Ao contrário do irmão, o lado B do EP “Chocolate With Pepper” está bem mais ácido e acelerado – fato que acentua a alta freqüência e causa certo desconforto auditivo independente da intensidade (volume) do som. Tímpanos atentos vão vibrar demasiado com os agudos e sentir falta de mais ‘punch’ (vigor) no arremate da masterização. Olhos atentos no encarte também vão verificar que as baterias foram gravadas em outro estúdio por outra pessoa, ou seja, condições que podem alterar a fórmula – ou não, como diria Caetano!

Além de Rafaum Costa nas guitarras, a banda só está completa com a presença de Vinicius Menna (voz e guitarra), Beloni Uchoa (baixo) e Artur Araújo (bateria). O quarteto já experimentou outras formações, outros estilos, alguns fizeram parte de outras bandas, mas sempre orbitaram em torno da Distro desde 2005 – sinal de que a ‘brincadeira’ é séria. A música soa garageira, juvenil, ainda indefinida, que luta para conquistar identidade nesse emaranhado pop-rock-emo-hard. O encarte, criado pelo também conveniado Noize Gustavo Rocha, é atração à parte: traz ilustrações despojadas do mascote tosco que estampa as embalagens da guloseima.

[ link original da crítica na Tribuna do Norte ]


|

Comentários [ 0 ]